Energia eólica cresce 12% nas Américas em 2018

Os dados mais recentes divulgados pelo Conselho Global de Energia Eólica mostram que em 2018 foram instalados nas três Américas 11,9 GW da fonte, um aumento de 12% em relação a 2017. Na América do Norte –  Canadá e EUA – houve aumento de 10,8% na capacidade adicionada em relação a 2017. Já na América Latina, a adição de novas capacidades cresceu 18,7% em relação a 2017.

Na América do Norte, a concessão recente e definitiva do Crédito Fiscal de Produção estimulou o volume. Na América Latina, o compromisso com leilões seguiu impulsionando o aumento de volumes na região. A expectativa é que a região continue a crescer, com expansão maior da cadeia de suprimentos ao longo de 2019. Na parte Norte do continente, o setor de energia eólica é responsável por mais de 160 mil empregos, enquanto o Brasil adicionou 2 GW de capacidade em 2018 e leiloou capacidade a preços competitivos em nível global de U$22/MWh. O México instalou quase 1 GW, o maior aumento de capacidade já realizado, passando a contar com capacidade total de 5 GW. O país espera atingir sua meta de geração de 35% da sua matriz energética advinda de fontes renováveis até 2024.

Segundo Ben Backwell, CEO do GWEC, o mercado eólico norte-americano é um dos mais maduros e competitivos do setor eólico. Vários aprendizados e experiências de sucesso do país podem ser utilizados em outros mercados. O aumento do fornecimento corporativo em 2018 demonstra como esse tipo de processo pode estimular a demanda e o volume em outros mercados de energia eólica. Ainda segundo ele, o desenvolvimento do mercado de energia eólica na América Latina também se mostra bastante positivo. O Brasil realizou novamente leilões de grande escala, e a expectativa é que o primeiro leilão na Colômbia ocorra este mês. Outros investimentos na cadeia de suprimentos por parte das principais fabricantes de equipamentos originais, Vestas e Nordex, na Argentina, comprovam o potencial do mercado no longo prazo.

O mercado norte-americano de energia eólica continua a se desenvolver com a execução do planejamento da cadeia de suprimentos, realização de licitações para zonas de arrendamento offshore no Massachusetts, formação de joint ventures – EDF e Shell para zonas de arrendamento em New Jersey – e estabelecimento de escritórios por empresas do setor, caso da MHI Vestas. A expectativa do GWEC é que os projetos iniciem construção entre 2020 e 2025. De acordo com Karin Ohlenforst, Diretora de Inteligência de Mercado do GWEC as Américas do Norte, Sul e Central respondem por cerca de 25% da capacidade global adicionada em 2018. Para ela, o crescimento da capacidade na América do Sul, em particular, comprova como a energia eólica é competitiva nos mercados de leilão.

O forte crescimento da geração de energia eólica está contribuindo de forma significativa para ajudar os países a cumprirem com suas metas previstas em acordos internacionais sobre o clima, atendendo à crescente demanda de energia. Esse crescimento é parte fundamental da solução para reduzir emissões, fortalecer a segurança energética, reduzir custos e aumentar o investimento em economias locais.

Os números mais recentes divulgados pelo GWEC compõem as estatísticas do Relatório Global de Energia Eólica, principal publicação do GWEC e fonte de informações mais utilizada pelo setor. O relatório completo, que será divulgado em abril, oferece um cenário abrangente do setor global de energia eólica e uma visão geral das tendências, a exemplo do crescimento da geração de energia eólica no mar (offshore), fornecimento corporativo e mudanças em modelos de negócio. O relatório completo será divulgado em abril.

Fonte: Canal Energia

Fale conosco
Rua Gal. Tertuliano Potiguara, 575
Aldeota - CEP 60135.280
Fortaleza - Ceará - Brasil
Tel. +55 (85) 4009 6999
Fax. +55 (85) 4009 6992
contato@cletogomes.adv.br
NEWSLETTER

Assine nosso informativo

Email*